O Caçador de Pipas

O-caçador-de-pipas-em-quadrinhos-CAPAEsse quadrinho foi presente da minha adorável Lu, que viu o filme que também foi adaptado do livro de Hosseini, e quando viu que tinham feito uma adaptação para os quadrinhos, resolveu me dar esse presente.

O livro conta a história de Amir, que cresceu no Afegnistão antes das invasões soviéticas no país. Ele ainda criança, tinha um amigo muito próximo chamado Hassan. Apesar de serem unha e carne e nunca se separarem, há uma certa inquietação em Amir, parece que ele tem inveja da coragem e da força que Hassan mostra, mais de uma vez. Mas ele ainda é muito jovem para poder processar corretamente essas sensações e acaba montando um esquema para que o pai de Hassan, que trabalha há décadas para o pai de Amir, seja forçado a ir embora. Amir nunca mais vu seu amigo de infância. Seu pai, percebe que a situação no país está deteriorando rapidamente e resolve usar seus contatos e o pouco de dinheiro que consegue levantar para fugir com Amir para o Paquistão. Lá, Amir cresce e se encanta pela filha do general Sahib, Soraya. Com a benção do general, Amir se casa com ela, e vão morar juntos com o pai de Amir, que está muito doente, sofrendo de um câncer atroz. Depois da morte do pai, eles vão para os Estados Unidos, aonde finalmente conseguem um pouco de paz. Já adulto, Amir recebe uma ligação de um velho amigo de seu pai, dizendo que ele está muito doente, e que gostaria de vê-lo uma vez mais, para le contar como ele pode se redimir de suas ações no passado. Amir agarra essa oportunidade e vai ao Paquistão, 20 anos depois de ter saído do Oriente Médio. Lá, Rahim lhe conta um terrível segredo: Hassan, seu amigo de infância, era na verdade seu meio irmão, que foi morto há pouco tempo pelo Taliban, mas gerou um filho Sohrab, que ainda estava em Kabul. e vivendo da forma mais precária possível. Seria a obrigação de Amir voltar à sua cidade de origem e resgatar o menino de um destinno cruel.

Muito mais do que um enredo muito triste e tocante, Hosseini nos mostra as atrocidades que foram feitas com o povo afegão, sem saber o que é mais repreensível: a estúpida ambição soviética ou o extremismo religioso dos Talibans. Como os próprios seres humanos podem ter tanto descaso por seus semelhantes e tomar suas vidas em nome de algo tão sem sentido como um pedaço de terra ou delírios de grandeza religiosos. É realmente incompreensível que haja tanta violência de todos os lados, e todos eles dizendo que estão do lado de “Deus” ou Allah, ou o que quer que eles acreditem que os levem a tirar a vida, essa sim sagrada, dos outros. Essa jornada é ainda mais imersiva pela arte fabulosa e ao mesmo tempo delicada de Fabio Celoni e Mirka Andolfo

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s